quinta-feira, 6 de março de 2008

Só doi quando eu lembro...

Acho que foi o meu primeiro pior momento. Pelo menos era até aquele dia (mal sabia eu o que a vida me reservava).

Eu tinha uns seis anos e minha mãe estava grávida do meu irmão. Já perto do trabalho de parto ela foi internada por uns 3 dias (era uma cesariana) . Ela nunca tinha ficado fora de casa tanto tempo e sem ela em casa, depois desses longos 6 anos de convivência a casa não era a mesma sem ela. Acho que no terceiro dia, meu pai chega mais cedo em casa e me dá a notícia de que vamos buscar a mamãe. Deus, que saudade. Entrei afoito no fuscão azul bic do meu pai (não sei se vcs lembram dessa cor, era um azulão quase roxo que manchava ao toque dos dedos. Parecia realmente ter sido pintado com tinta da caneta).

Chegamos no hospital da L2 sul. Logo que desci do carro meu pai disse, "lá está a mamãe na porta". Eu mal a ví, ansioso como sou, sai correndo em disparada na direção dela. Meu coração acelerado e radiante de alegria ao ver a imagem dela na minha frente abraçada a uma pequena trouxinha de roupa que mais tarde se converteria naquilo que eu chamo de irmão. Ainda correndo estendi meus braços para abraça-la e antes que eu pudesse gritar com toda a força dos meus pulmões "MAMÃ...", fui interrompido por um violento impacto seguido de uma pancada seca que catapultou meu corpo em direção contrária. Eu cai. Minha visão escureceu e tudo apagou.

Segundos depois eu estava no chão com um grupo de curiosos a minha volta enquanto meu pai me socorria. "Mas, mas...O que aconteceu?"- pensei. Minha mente não conseguia formular nenhuma teoria coerente para aquele misterioso acidente. Foi quando uma simples pergunta de meu pai fez com que todas as peças do quebra cabeça se encaixassem: "Menino do céu, você não viu a porta de vidro"??

Que vergonha. Tentava não chorar na frente de todo mundo afinal, meninos não choram. Sorri amarelo. Afinal, foi uma bobagem, um susto. Nada sério. Me levantei, bati as mãos na camisa para tirar a sujeira, recolhi o olho que rolava pelo chão e fui para casa.

(clique na imagem para ampliar)

Foi essa lembrança que veio a mente quando eu pensava no nome desse blog. Blog... Ainda me soa estranho isso. Eu confesso que abri essa conta no blogspot muito contrariado. Foi por força da pressão de um amigo meu que diz que eu tenho muita história para contar. Segundo ele, alguns momentos da minha vida são tão divertidos que seria muito egoísmo eu privar outras pessoas de experiências tão únicas. (Eu acho que devem sim que devem ser momentos divertidos para alguém sim, mas com certeza, não foram para mim).

De qualquer forma, acho que sou um preconceituoso quanto a idéia de criar um blog. Até alguns minutos atrás, blog pra mim era coisa pra nerd, mulher e adolescentes (EMO). Acho que estou velho demais pra isso. Entretanto como a vida sempre tenta me mostrar as coisas da maneira mais complicada, aqui estou eu, pagando com a língua e escrevendo essas linhas tortas que eu espero, sinceramente, que alguém se dê ao trabalho de ler.

Ainda que eu não pretenda abrir minha intimidade nesse espaço, devo dividir um pouco da minha "inexperiência" pessoal (sim, porque ainda não tenho certeza o que eu aprendi com isso tudo...) assim como algumas das minha poucas mas, para mim, significantes "desventuras"(é verdade, eu gosto de usar "aspas", só preciso aprender quando), sejam elas sob forma de texto, tiras ou ilustrações.

Torço que, ao menos para você que lê, o conteúdo desse espaço seja divertido. Pelo menos mais divertidos pra você do que foram para mim.

Mas não se preocupe, ainda que algumas lembranças sejam embaraçosas, só doi quando eu lembro...

6 comentários:

Eliezer disse...

Ta explicada a sua aparência hoje.. culpa da porta de vidro e do olho rolando hahaha

Congrats Man!!! Agora vc é um nerd Emo corajoso rs

Patrícia disse...

Foi o Eliezer que te estimulou a fazer isto, né? Só podia ser... mas eu apóio!!!

Eu choro só de lembrar você contando (e encenando com suas caras, caretas e bracinhos) essa história... ô, dó! hahahahaha

E no caminho havia uma porta de vidro; uma porta de vidro estava no meu caminho.... e assim sua mente ficou afetada pelo resto da vida!

Parabéns, meu amigo!

Uma guria aí disse...

Uhu! Adorei! Depois te ajudo com as formataçoes tá blz?
Mas quanto ao conteúdo tá ótimo! hehe
Adoro seus desenhos!

Heliovna disse...

Hehehehehe... Esse blog ainda vai dar o que falar... :o)

Vivi disse...

Eu sabia que tinha um jeito de não ficar tão entediada nesse mundo de carimbos, vistos e maiaihelpiul.

valeu, Eron!!!

beijos
Vidya

Marcelo disse...

Kkkkkkkkkk...Cara eu ri muito! Continue assim, vc tem o DOM.
Parabéns pela iniciativa!